Ir para o conteúdo principal
Memória da Educação Paulista » Escola Caetano de Campos » História


A História da Escola

A Escola Caetano de Campos teve como origem a necessidade de formação de professores para atender os interesses educacionais de meados do século XIX, em São Paulo. Por isso o nome era Escola Normal de São Paulo. O termo “normal” remete aos primeiros estabelecimentos, na França, de formação de professores de ensino elementar, no fim do século XVII, para responder as necessidades de atendimento para com as crianças pobres.


As Escolas Normais no Brasil estavam na meta dos interesses da constituição do Estado Nacional. Na Província de São Paulo, em 1843, a Assembleia Provincial propõe diretrizes aos cursos de formação de professores do ensino elementar, sugerindo a criação de Escola Normal na capital. Em 1846 é que a Escola Normal saiu do papel para sua realização. De 1846 até 1867, o curso destinou-se exclusivamente aos alunos do sexo masculino.


A Lei nº 9, de 22 de março de 1874, que instituiu a obrigatoriedade do ensino elementar para alunos de toda a Província possibilitou que, em 1875, a Escola Normal voltasse a funcionar. De 1875 até 1878, a Escola Normal (seção masculina) estava em prédio da Faculdade de Direito e, posteriormente, no prédio do Tesouro Municipal. Também, foi instalada a seção feminina, que funcionou no Seminário de Nossa Senhora da Glória (Seminário das Educandas). Duas escolas de instrução primária, da Freguesia da Sé, foram anexadas à Escola Normal já com a necessidade da prática do magistério para com os normalistas.


A partir de 1880 a Escola Normal reabre e não fecha mais suas portas. Até 1894 funciona sobretudo em edifício na Rua da Boa Morte, com aulas mistas. Mas, os interesses dos primeiros republicanos é que caracterizam este período. Em 1890, com o Decreto nº 27, é instituído a reforma da Escola Normal. O presidente do Estado de São Paulo, Prudente de Moraes, sob a inspiração de Rangel Pestana, promove a reforma e propõe para Antonio Caetano de Campos (nomeado Diretor da Escola Normal) executar. Diretor e professor de Biologia da Escola Normal de São Paulo, Caetano de Campos realizou o lançamento da pedra fundamental do novo prédio da Praça da República. Faleceu em 1891 não participando da inauguração do prédio em 02 de agosto de 1894.


Segundo Noemi Silveira Rudolfer: “Ela é mais que os edifícios nos quais se desenvolveu e mais que os nomes daqueles que lhe guiaram o leme. (...) A Escola ‘Caetano de Campos’ de hoje, a Escola Normal da Capital de ontem ou o Instituto de Educação de hoje tem prestado serviços relevantes à coletividade e muitos mais ainda vai prestar” (1946, p. 20).

 

Nesta página, você poderá saber mais sobre a longa trajetória dessa escola de tantos nomes, e tantos sentidos para a Educação Paulista. Sua história pode ser dividida em três períodos, numa sequência cronológica:

 

O primeiro, que se inicia com a instalação da Escola Normal, em 1846, vai até a inauguração do seu prédio próprio, na Praça da República, em 1894.

 

O segundo período abarca sua trajetória desde a inauguração do prédio próprio até a tentativa de demolição do edifício, na década de 1970.

 

O terceiro e último período é marcado pela reação contra a demolição de seu prédio, e sua descaracterização ao ser desmembrada em duas escolas, que passaram a funcionar em dois novos endereços.    

 

Para melhor experiência de leitura, dividimos o material referente a cada período em capítulos, que podem ser baixados, por download, logo abaixo.

 

  

1 – Da origem, em 1846, até a instalação em prédio próprio, em 1894

 

2 – Da instalação na Praça da República até a década de 1970

 

3 – A década de 1970: mudança de rumo

 

4  Bibliografia

 

5  Vídeos