Ir para o conteúdo principal

Radar Cultural - Capital e Grande São Paulo

mai 16

Written by: admradar
16/05/2016 11:00  RssIcon

Fina Camada“No fundo do mato-virgem nasceu Macunaíma, herói da nossa gente. Era preto retinto e filho do medo da noite. Houve um momento em que o silêncio foi tão grande escutando o murmurejo do Uraricoera, que a índia tapanhumas pariu uma criança feia. Essa criança é que chamaram de Macunaíma.” Assim começa a história de um dos personagens mais marcantes da literatura brasileira, criada por Mário de Andrade.

FICA A DICA

A obra é para assistir ou ouvir! Em 1969, “Macunaíma” foi para o cinema. Escrito e dirigido por Joaquim Pedro de Andrade, o filme baseado no livro homônimo ganhou diversos prêmios no Festival de Brasília (1969) e também venceu na categoria de melhor filme no Festival Internacional de Mar del Plata (1970), na Argentina. E em 2008, a cantora Iara Rennó gravou o CD Macunaó.peraí.matupi ou Macunaíma Ópera Tupi, também inspirado no livro.

Apesar de a obra ter sido lançada em 1928, foi escrita dois anos antes. Assim, já está completando 90 anos. E para comemorar, a Casa Mário de Andrade ganhou uma exposição inédita, intitulada “Criação de Macunaíma”.

A mostra é uma viagem no tempo, em que os visitantes podem ver uma série de objetos referentes à criação do livro, como por exemplo, fac-símiles (reproduções exatas de uma escrita) dos originais do romance; exemplar da edição original autografada; e também várias edições de “Macunaíma”, inclusive duas em quadrinhos.

A visita é uma forma de valorizar essa importante obra do movimento modernista brasileiro. E ainda, compreender a maneira como Mário de Andrade interpretou o Brasil da época, em relação à cultura e à identidade nacional, ao apresentar o herói sem nenhum caráter.

Onde: Oficina Cultural Casa Mário de Andrade
Rua Lopes Chaves, 546 - Barra Funda - São Paulo
Horário: de terça-feira a sábado, das 10h às 18h.
(entrada gratuita).

SAIBA MAIS

Mário de Andrade contou que escreveu Macunaíma em apenas seis dias, deitado em uma rede, em uma chácara em Araraquara, interior de São Paulo. Apesar do pouco tempo para a criação, a obra foi fruto de anos de pesquisa sobre lendas e mitos indígenas e folclóricos. Mário era um grande admirador da cultura brasileira; assim, empenhou-se em produzir um trabalho que afirmasse a identidade nacional.

Tags:
Categories:
Location: Blogs Parent Separator Radar EFAP

Busca no Radar Cultural - Capital: