Ir para o conteúdo principal

Radar Cultural - Capital e Grande São Paulo

mar 4

Written by: admradar
04/03/2016 07:00 

Fina CamadaNos anos 2000, os celulares ganharam uma nova função: fotografar. Do primeiro aparelho com câmera digital integrada até os dias de hoje, muita coisa mudou. Se atualmente, com um celular na mão qualquer um pode fotografar, editar a imagem e divulgá-la na rede, antigamente era tudo muito diferente. A exposição Foto Cine Clube Bandeirante: do arquivo à rede explica um pouco melhor sobre os primórdios da fotografia experimental no Brasil.

FICA A DICA

Consulte a lista completa de obras e artistas que você encontrará na exposição, clicando aqui.

Em funcionamento até hoje, o Foto Cine Clube Bandeirante foi fundado em 1939, com o intuito de proporcionar encontro de fotógrafos amadores e profissionais, para intercâmbio de imagens fotográficas e trocas de informação sobre técnicas e novos recursos. Por meio de seus salões, exposições e publicações, ele foi, por muitas décadas, o mais importante centro paulista de ensino de fotografia. E essa mostra apresenta 279 obras de 85 de seus membros, retratando os anos de formação do FCCB e possibilitando o conhecimento da fase inicial da produção de fotógrafos, que hoje são referências nesse circuito, como German Lorca e Thomas Farkas.

 “Arquivo” e “rede” são os norteadores da exposição. Arquivo faz menção às próprias imagens, que são parte do acervo do FCCB, consideradas documentos complexos, pois no verso de cada fotografia existe um registro histórico de onde elas percorreram, entre os anos de 1940 e 1980. E para enfatizar a ideia de rede, as fotos são organizadas cronologicamente, a partir da data da sua primeira participação em um salão.

Onde: MASP
Av. Paulista, 1.578, São Paulo - SP
Quando: até 20/03.
Horário: Terça-feira a domingo, das 10h às 18h; quinta-feira, das 10h às 20h. Toda terça-feira a entrada é gratuita

SAIBA MAIS

German Lorca é brasileiro e uma grande referência na fotografia. Nasceu em São Paulo, no Brás, em 1922. Apesar de ter se formado em Ciências Contábeis, resolveu largar a carreira promissora para se dedicar à fotografia. Como naquela época não existia escola técnica ou de artes para o ensino da fotografia, em 1949 entrou para o Foto Cine Clube Bandeirante. Durante o tempo que frequentou o clube, conheceu outros fotógrafos e, juntos, introduziram novas tendências na fotografia moderna brasileira. O gosto por registrar as paisagens de São Paulo rendeu um convite para ser fotógrafo oficial das comemorações do IV Centenário da Cidade de São Paulo (1954). A partir daí, passou a se dedicar exclusivamente à fotografia. Hoje, com mais de 60 anos de carreira, já conquistou diversos prêmios e tem obras em alguns acervos, como a Pinacoteca do Estado de São Paulo; o MAM-SP; e até em Miami, nos Estados Unidos, no Cisneros Foundation Museum.

Tags:

Busca no Radar Cultural - Capital: