Ir para o conteúdo principal

Radar Cultural - Capital e Grande São Paulo

ago 27

Written by: admradar
27/08/2015 13:58  RssIcon

O ser humano é altamente criativo. A partir da insatisfação e dificuldades, é capaz de solucionar problemas criando verdadeiras engenhocas. Foi assim que surgiu, por exemplo, o ferro elétrico. Passar roupa é uma técnica que existe há centenas de anos. Mas, antes, era uma tarefa perigosa e que exigia muito esforço físico, já que para isso era utilizado um instrumento rudimentar pesado e à base de carvão. Além dessa invenção, muitas outras foram desenvolvidas nos últimos 150 anos. E para contar essa e muitas outras histórias, foi criada a exposição “Invento | As Revoluções que nos Inventaram”.

FICA A DICA
O Parque do Ibirapuera oferece uma infinidade de atividades gratuitas para públicos de todas as idades. Aproveite sua ida à OCA e visite os outros espaços do parque.

Porém, a proposta da mostra vai além de explicar a importância histórica de cada invento. A ideia principal é que objetos sejam desconstruídos, afastando-os de suas funções originais, a fim de transformá-los em verdadeiras obras de arte. E para participar do “museu de ciências feito por artistas”, foram selecionados aproximadamente 35 obras e 30 artistas contemporâneos mundiais.

Entre os destaques, estão:

Experiment in F#Minor (2013/2015), de Janet Cardiff e George Bures Miller, uma instalação sonora interativa, composta por diversos tipos de caixas acústicas, que são acionadas conforme a presença do público. Quanto mais pessoas se aproximam das caixas, mais densidade ganha o som.

Crepúsculo (2015), de Christian Boltanski, uma instalação com 480 lâmpadas incandescentes que queimarão uma a uma, de hora em hora, até o fim da mostra. O objetivo é fazer referência ao fim da comercialização desse tipo de luminária. Com o surgimento de modelos mais eficientes, desde 2013, bulbos acima de 110w não são mais fabricados no Brasil, e no último 1º de julho também foram proibidas a produção e a venda dos de 60w.

Elevator Pitch (2011), de Leandro Erlich, uma visão do elevador como um ambiente de encontros e surpresas, e não como um meio de transporte. Sua porta abre de tempos em tempos, revelando o que está dentro dele.

Descubra outras obras que também estarão presentes na mostra, acessando o site.

A exposição ficará em cartaz até o dia 4 de outubro, na OCA, no Parque do Ibirapuera. A entrada é gratuita, e o horário de funcionamento é de terça a domingo, das 9h às 17h.

SAIBA MAIS
Quando se ouve falar em Amyr Klink, a primeira coisa que vem à mente é navegação marítima. Mas o brasileiro tem outra paixão que poucas pessoas conhecem: planejar e executar estruturas geométricas. Em uma de suas temporadas na Antártica, utilizou uma geodésica – estrutura esférica composta por vários triângulos – como abrigo. O projeto original é do norte-americano Buckminster Fuller. Para a exposição na OCA, o próprio navegador montou um Domo Geodésico, com um balanço pendurado no centro. Como a estrutura permite peso, sem desestabilizar, o público pode se divertir balançando e indo às alturas.

Tags:
Categories:
Location: Blogs Parent Separator Radar EFAP

Busca no Radar Cultural - Capital: