Ir para o conteúdo principal

Radar Cultural - Capital e Grande São Paulo

jan 30

Written by: admradar
30/01/2014 10:44  RssIcon

Se o Brasil é o país do futebol, o Pacaembu é a sua capital. É, também, a segunda casa de corintianos, palmeirenses, são-paulinos, santistas e outros milhões de apaixonados pelo drible da vaca, o elástico, a caneta, o chapéu e o gol.

Mais de 70 anos depois de sua inauguração, em 27 de abril de 1940, o Pacaembu continua a ser um dos principais e mais modernos estádios brasileiros. Pudera! A ideia de ter um espaço público na cidade para sediar atividades esportivas e culturais nasceu da cabeça de modernistas como Mário de Andrade, ainda na década de 1920.

FICA A DICA
A exposição Futebol de Papel, com relíquias emprestadas por colecionadores de todo o Brasil, pode ser visitada online. A exposição fica em cartaz no Museu do Futebol até 27 de abril. Às quintas-feiras, as visitas são gratuitas.

Depois, foram necessários um par de décadas e um terreno de 50 mil metros quadrados doado pela Cia. City para que o estádio saísse do papel.

De lá para cá, o que se viu nos gramados do Pacaembu entrou para a história do Brasil, do futebol e de cada um dos espectadores que já estiveram naquelas arquibancadas. Os gols de bicicleta de Leônidas da Silva pelo São Paulo; o menino Edson Arantes do Nascimento se tornar Pelé no Santos; o Palestra Itália virar Palmeiras e uma máquina verde de fazer gols; os 23 anos de jejum corintiano e, anos depois, um Corinthians que quase nunca perde no Pacaembu.

Em 2008, o estádio foi escolhido para reunir todas essas memórias vividas desde que Charles Miller trouxe o futebol para o Brasil. É lá que funciona o Museu do Futebol (http://museudofutebol.org.br), um lugar com 6,9 mil metros quadrados de vitórias, derrotas, sorrisos e lágrimas dentro das quatro linhas.

Fora de campo

Nem só de futebol vive o Pacaembu. Além do estádio, há um complexo esportivo que atende os paulistanos gratuitamente ou a preços populares e que já revelou talentos como o boxeador Eder Jofre. Foi no ginásio que aconteceu a primeira luta do pugilista quando ele tinha apenas 7 anos de idade, em 1943. Ele, claro, venceu!

O clube também é usado por alunos das escolas municipais de São Paulo, no Programa Clube Escola de Tênis, para o desenvolvimento de novos atletas nessa modalidade.

Veja o que é preciso para se tornar sócio do Pacaembu e participar das atividades do clube, clicando no link.

Saiba mais

Em 1961, o Pacaembu passou a se chamar Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, em homenagem ao homem que comandou a delegação brasileira na Copa do Mundo de 1958, quando o Brasil conquistou o seu primeiro título mundial.

Pacaembu também é o nome do bairro onde o estádio está localizado e, em tupi-guarani, quer dizer "terras alagadas". Hoje em dia, o lugar é tão importante para a cidade que muitos acreditam que o bairro tem esse nome por conta do estádio, e não o contrário.

GLOSSÁRIO DE DRIBLES
Da vaca – lançar a bola por um lado do adversário e a recuperar pelo outro.
Chapéu – chutar a bola por cima do adversário e a recuperar do outro lado, sem deixá-la cair no chão.
Caneta – passar a bola entre as pernas do adversário.
Elástico – puxar a bola para um lado e movimentá-la para o outro rapidamente, deixando o adversário tortinho.

Tags:
Categories:
Location: Blogs Parent Separator Radar EFAP

Busca no Radar Cultural - Capital: