Ir para o conteúdo principal

Eu Indico

nov 1

Written by: admindico
01/11/2016 12:20 

Acredito que todos os professores devem pensar em si mesmos como cientistas essencialmente; é assim que gosto de me ver. Sou um físico e professor que tem interesse pelo estudo da obra de Shakespeare, portanto, a indicação de leitura da obra de Shakespeare fica bastante óbvia. Hamlet, por exemplo, é a representação do primeiro homem moderno. Como estudante de filosofia em Wittenberg, sua mente pré-científica prenuncia as inquietações existenciais da modernidade. Logo no primeiro ato, ele irá pontificar “há mais mistérios entre o céu e a terra do que sonha sua filosofia, Horácio” ao conversar com o companheiro de universidade. E é sempre interessante observar que esta peça começa com a seguinte questão: “Quem está aí?” Ou seja, quem é este ser que tudo apreende, que observa e interage com o universo? Hamlet é um grande olho voltado para nós mesmos. Shakespeare é fundamental para a compreensão de tudo que permeia a condição humana.

Nessa mesma linha de pensamento, sinto-me tentado a indicar também livros que colaborem para a construção de uma abordagem científica mais apropriada. É necessário que a sociedade moderna tenha a capacidade de compreender que estamos ligados atomicamente ao universo, quimicamente à Terra e biologicamente ligados uns aos outros, como diz o astrofísico Neil deGrasse Tyson, grande divulgador da ciência. Nesse sentido, um livro que se tornou um clássico e deveria ser leitura obrigatória para todo aluno no ensino médio é O Mundo Assombrado Pelos Demônios de Carl Sagan que já recebeu indicações anteriores de outros colegas aqui neste mesmo espaço.

Também considero importante que o colega professor seja capaz de apreender os conceitos de integração promovidos pelo conhecimento científico, com Newton produzindo a primeira visão unificada do Céu e da Terra ao mostrar que as leis que regem os corpos celestes são as mesmas que regem os corpos na Terra. Depois, a segunda grande unificação realizada por Darwin ao demonstrar que o ser humano está integrado á própria evolução do planeta, unificando a Vida e a Terra e a Terceira Unificação que ainda se encontra em curso, e da qual somos testemunhas oculares e que irá unificar a Consciência humana ao processo evolutivo da mente, como tem sido demonstrado pelos estudos no campo das neurociências e que unifica Vida e Consciência. Por isso, livros como O Discreto Charme das Partículas Elementares de Maria Cristina Abdalla, bem como o site A Aventura das Partículas também são altamente recomendáveis para um entendimento do Modelo Padrão que descreve o nosso universo físico.

Para compreender a evolução do entendimento sobre o cérebro e mente, um dos melhores livros é Em Busca da Memória de Eric Kandel, ganhador do Prêmio Nobel em 2000. No livro ele conta a sua trajetória científica, bem como toda a evolução das pesquisas em torno do funcionamento do cérebro e da mente desde os seus primórdios. É uma verdadeira viagem na história das neurociências. O problema é que o livro encontra-se esgotado nas livrarias.

Ainda nessa linha que explora o entendimento sobre o funcionamento do cérebro, uma leitura bastante acessível são os livros do conhecido neurologista Oliver Sacks que recomendo por ser de fácil leitura. Geralmente, são narrativas extremamente interessantes de casos atendidos por ele. Destaco especialmente o seu A Mente Assombrada, em que descreve casos de pessoas que veem imagens e ouvem vozes que não existem no mundo real. Aborda esse fenômeno da mente que dá origem a várias interpretações equivocadas sobre crenças em coisas inexistentes. Outra leitura de temática que aborda o funcionamento do cérebro e que sempre indico aos alunos da pós-gradução é o livro de Michael Shermer, Cérebro e Crença, que nos ajuda a entender a formação das crenças em nossas mentes.

E, para terminar, como vivemos numa época de preponderância da linguagem visual, gostaria de indicar uma série de vídeos sobre temática científica que podem ser muito úteis para os professores e seus alunos. Trata-se dos vídeos de uma série chamada Symphony of Science que pode ser encontrada facilmente no youtube. Os vídeos reúnem trechos de palestras e entrevistas de renomados cientistas que são apresentados em versões musicadas. Vejam estes três exemplos legendados: The Quantum World (sobre a Física Moderna), Ode ao Cérebro (o que sabemos sobre este órgão) e Children of Africa: a história de todos nós (sobre a evolução humana).

Espero que os colegas professores aproveitem estas indicações.

Ronaldo Marin é físico, professor e pesquisador, especialista em Semiótica, integrante do Grupo TransObjeto – CNPq e diretor do Instituto Shakespeare Brasil.

Tags:

Busca no Eu Indico: