Ir para o conteúdo principal
porno mat i sin xxx odia in adult rape videos
agri escort elazig escort
escort alanya
ankara escort
bonus veren siteler
makale ozgunluk testi
huluhub.com
Luxury replica watches
www.copeland.club
old sex women boy to boy xxx nude

Notícias

ago 23

Written by: adm
23/08/2019 13:04  RssIcon

Visita à exposição na EFAPE auxilia professores e alunos na preservação do acervo escolar

23 de Agosto de 2019

Prestes a completar 125 anos, a Escola Estadual São Paulo tem muita história para contar. E para ajudar na preservação da memória escolar, alunos e professores visitaram as exposições culturais da Secretaria da Educação, na unidade da Armênia e também na EFAPE.

A iniciativa partiu da equipe escolar, que enxergava a importância e a necessidade de conservar todo o material cultural que a escola possui. Apesar de anos atrás ter contado com um museu, a ideia foi descontinuada quando a unidade teve que passar por uma reforma, e desde então está tudo guardado.

“A gente não sabia como começar. Agora, foi dado um norte para nós”, contou a professora de Sociologia, Maria Tereza de Oliveira Soares, que participou da visita junto com outros professores e alunos de 1º, 2º e 3º anos do Ensino Médio.

 

A visita foi guiada por Elis Cypriano Gomez, diretora do Núcleo de Memória e Acervo Histórico/CRE/EFAPE, que, além de apresentar o acervo e a reserva técnica, compartilhou alguns conhecimentos. “Orientamos como fazer um inventário, catalogação, como acondicionar os objetos – mesmo não tendo material específico, é possível adaptar para fazer a preservação”.

De grande importância na história do ensino público do Estado, a unidade foi o primeiro ginásio da Capital. No início se chamava Gymnásio do Estado de São Paulo, e já foi responsável pela formação de líderes políticos, intelectuais e até cientistas de destaque na sociedade brasileira. Então, o acervo conta com um material vasto e diverso, como livros, materiais didáticos, registros dos alunos, álbuns de fotografias com capa de madeira, de quando os alunos se formavam, quadros pintados a óleo dos diretores, mesa de reunião e carteiras.

De acordo com a professora, os próximos passos será absorver todo o aprendizado e criar um projeto, que possivelmente poderá se tornar uma eletiva no ano que vem, já que lá é uma escola de ensino integral. “Agora, vamos entrar na sala, olhar e deixar os alunos perceberem o material que eles têm, a riqueza daquilo tudo. Motivar não só eles como os outros também. Esses meninos vão ser multiplicadores, por meio do reconhecimento, despertarão nos outros alunos a importância desse acervo para a história da escola.

 

Núcleo de Memória e Acervo Histórico

O NUMAH auxilia qualquer escola que tenha interesse em preservar a memória escolar, não só das unidades antigas como as novas também. “A partir de agora, a gente precisa pensar que as novas escolas um dia terão um acervo. E elas também precisam fazer a guarda desse material, como por exemplo, um exemplar de livro, uma cadeira. Hoje, para nós, é uma coisa muito nova, mas daqui 20, 30 anos, não será. Então, precisaremos fazer a preservação nessas escolas também. E nós damos essa orientação”, disse Elis.

Entre em contato pelo e-mail: nucleodememoriacre@educacao.sp.gov.br, e agende também uma visita com sua turma ao acervo histórico da Escola Caetano de Campos e às exposições do Programa Memória Escolar, Preservação e Patrimônio.

Tags:
Categories:

Busca de Notícias