Ir para o conteúdo principal
fev 20

Written by: adm
20/02/2018 13:37 

TER, 20.02.2018

Começaram as rodas de conversa, primeira etapa do trabalho realizado pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo em parceria com o Instituto Liberta, de combate à exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil. Segundo dados do Instituto, atualmente 500 mil meninas e meninos são afetados direta ou indiretamente pelo problema no país.

As dinâmicas têm como principais objetivos alertar os educadores sobre a existência da exploração sexual e sensibilizá-los para trabalharem em rede. As rodas vão acontecer em todo o estado de São Paulo, nas 91 diretorias de ensino e serão conduzidas por Cristina Cordeiro, Coordenadora do Instituto Liberta, além de uma assistente social. Entre os assuntos, a acolhida da criança vitima de exploração e os instrumentos de denúncia como, por exemplo,  Conselho Tutelar e Varas de Infância.

Segundo Cristina, a rede estadual de ensino de São Paulo é a que tem maior capilaridade do país, o que torna o trabalho ainda mais eficiente. Ela destaca a importância do educador na prevenção de novos casos, com seu olhar sensível e  confiança dos alunos.

A parceria conta ainda com a participação da Universidade Columbia, de Nova Iorque, que vai acompanhar o processo, fornecendo materiais de apoio.

As diretorias de ensino terão autonomia para indicar os participantes das rodas de conversa e cada unidade escolar poderá enviar um professor. O profissional escolhido deverá ser um agente multiplicador  na defesa das crianças e adolescentes mais vulneráveis. Informe-se na sua Diretoria de Ensino.

Assista ao vídeo sobre a iniciativa  

Tags:

Busca em Notícias: